5G: Tecnologia chegou à capital e tem cobertura de 80%

A cobertura, que é mais potente, permite dar celeridade aos usuários da rede móvel

Após a ativação da quinta geração de internet móvel, o 5G, em Brasília, nesta quarta-feira (6), usuários já estão usufruindo do novo serviço. A capital federal é a primeira cidade do país a contar com a versão “pura” da tecnologia.

Para ter acesso à tecnologia 5G, o cliente deve ter um chip e um aparelho que aceite a conexão. O cliente precisa verificar se a operadora oferece o serviço e estar na área de cobertura. O site da Anatel informa a lista de celulares homologados para o sinal 5G puro.

O consumidor precisa ficar atento porque existem celulares fora da lista que mostram o ícone 5G. O sinal de 5G puro (sem interferência de outras frequências) estreou no Brasil nesta quarta-feira (5). A primeira cidade a oferecer o sinal foi Brasília, cujo funcionamento teve acerto aprovado na última segunda-feira (4) pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Próxima geração da internet móvel, a tecnologia 5G pura oferece velocidade média de 1 Gigabit (Gbps), dez vezes superior ao sinal 4G, com a possibilidade de chegar a até 20 Gbps. O sinal tem menor latência (atraso) na transmissão dos dados. Um arquivo de 5G pode ser baixado em cerca de 40 segundos nesse sistema.

O conselheiro e Vice presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Moisés Moreira explica que Brasília foi escolhida para ter o primeiro sinal por uma questão de logística. Moreira também abordou o que o consumidor pode fazer para aderir ao sinal

A tecnologia 5G permitirá a estreia da “internet das coisas”, que permite a conexão direta entre objetos pela rede mundial de computadores. Essa tecnologia tem potencial para aumentar a produção industrial, por meio da comunicação direta entre máquinas, e possibilitar novidades como cirurgias a distância e transporte em carros sem condutores.

Segundo o conselheiro e vice-presidente da Anatel, Moisés Moreira, as próximas cidades a receber o sinal 5G puro serão Belo Horizonte, Porto Alegre e São Paulo, mas as datas ainda não estão previstas. No início de junho, a agência reguladora definiu que, até 29 de setembro, todas as capitais deverão contar com a tecnologia.

Por: Luisa Câmara

Foto: Reprodução