A poucos passos de criar a universidade pública distrital

Primeira turma de alunos da Escola Superior de Gestão concluirá curso no final deste ano. Nova formação deve sair no próximo semestre

Eles somam 26 alunos e, no final de 2021, estarão diplomados para gerir com mais capacidade o serviço público no Governo do Distrito Federal. Em mais um passo rumo à criação da primeira universidade pública distrital, a Escola Superior de Gestão (ESG) se prepara para formar a primeira turma do curso de tecnologia em gestão pública.

Voltada a servidores — e com vagas abertas também à sociedade civil —, a formação da ESG aplica metodologia de ensino que, em parte do curso, transforma repartições do GDF em salas de aula. Isso acontece em secretarias associadas à escola, onde os alunos enfrentam a problematização do atendimento e buscam ali a solução para a melhoria do serviço prestado à população.

A servidora Aniele Cavalcante de Carvalho está no terceiro semestre e é uma das alunas a concluir o curso no final do ano. Para ela, todo o conhecimento adquirido na formação já vem sendo aplicado na sua realidade. “Tudo o que venho aprendendo coloco em prática na Secretaria de Saúde, onde exerço um cargo de gerência”,  afirma.

“É uma oportunidade de qualificação e desenvolvimento profissional para os servidores, inseridos em uma estratégia de valorização do nosso funcionalismo”André Clemente, secretário de Economia

Nova turma

A ESG funciona por meio de um termo de cooperação técnica firmado entre a Secretaria de Economia (Seec), por intermédio da Escola de Governo (Egov) e a Fundação Universidade Aberta (Funab) do DF. Atualmente há duas turmas em andamento, com um total de 45 alunos. A expectativa é de que uma nova turma seja aberta no próximo semestre.

“É uma oportunidade de qualificação e desenvolvimento profissional para os servidores, inseridos em uma estratégia de valorização do nosso funcionalismo. Iniciativas como essa refletem em melhorias nas entregas e no atendimento à população do DF”, avalia o secretário de Economia, André Clemente.

Casos reais

A grade curricular do curso de tecnologia em gestão pública é alicerçada em metodologias ativas, com foco na aprendizagem baseada em problemas e problematização. Esse método de ensino tem como fundamento o uso de casos reais da administração pública para promover o conhecimento do estudante.

“A formação dessa primeira turma, baseada na pesquisa, e a presença desses profissionais com um olhar mais crítico representará o aperfeiçoamento na prestação do serviço público”, afirma o coordenador do curso, Yonoré de Melo Barros.

“Trata-se da construção de uma educação superior pública, gratuita e de qualidade, voltada à população do DF e do Entorno”, completa a diretora da Escola Superior de Gestão, Juliana Tolentino.

Agência Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *