Atenção especializada para quem tem obesidade

Por Matheus Moura 

A Secretaria de Saúde disponibiliza tratamento em toda a rede pública para quem quer emagrecer. A porta de entrada para o serviço é a atenção primária à saúde.

A pessoa com obesidade identificada pelas unidades básicas de saúde com IMC superior a 35 e comorbidades como diabetes e hipertensão, por exemplo, ou IMC maior que 40 são reguladas para consultas com o endocrinologista.

Na atenção especializada, os endocrinologistas adultos e pediátricos dos ambulatórios dos hospitais regionais de Taguatinga, Sobradinho, Gama, Ceilândia, Hospital da Região Leste e Hospital da Criança de Brasília, tratam aproximadamente 800 pacientes com obesidade.

A obesidade é uma doença crônica que afeta milhares de brasileiros. Além de gerar danos físicos, várias doenças correlacionadas podem surgir como diabetes e hipertensão e, ainda, danos emocionais e psicológicos.

Inaugurado em dezembro de 2017, o Centro Especializado em Diabetes, Obesidade e Hipertensão já atendeu nestes quatro anos um total de 521 pacientes, alguns receberam alta, outros estão em tratamento e há ainda os que desistiram. Em 2018, foram 74 pacientes atendidos na unidade, em 2019 o número subiu para 188. Em 2020, por conta da pandemia, somente 54 pacientes fizeram o tratamento. Em 2021, a demanda subiu e 205 pacientes estão em tratamento.

A equipe do Cedoh é composta por médicos endocrinologista adulto e infantil, fisioterapeutas, psicólogas, enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais e nefrologista.

Foto: shutterstock/Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *