Casa do Cantador traz Campeões do Repente

Shows, no próximo fim de semana e na primeira sexta-feira de dezembro, são produzidos com recursos do FAC

Celeiro da cultura nordestina no Distrito Federal, a Casa do Cantador receberá,  no sábado (21) e na primeira sexta-feira de dezembro, um time seleto de artistas do segmento para uma grande festa em homenagem às manifestações culturais da região. Elaborado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), o show Campeões do Repente em Cantoria conta com os principais representantes da cena nordestina, para apresentações onde o improviso e a arte do homem do sertão são as principais atrações.

As transmissões, feitas diretamente do equipamento cultural, regido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), podem ser acompanhadas pelas redes sociais da Casa do Cantador e dos Campeões do Repente. Por causa da pandemia de Covid-19, as apresentações serão virtuais.

Além dos shows, momentos da história da Casa do Cantador, que completa neste mês 34 anos, serão resgatados em publicação de literatura de cordel. A festa também vai contar com apresentações dos declamadores, forrozeiros e artistas que espalham a beleza da cultura regional nordestina pelo país.

Arte nordestina

A programação inclui grandes nomes da arte nordestina residentes no DF, como o cordelista, declamador e pioneiro de Ceilândia Mestre Donzílio Luiz; os repentistas Chico de Assis e João Santana; os poetas declamadores Lília Diniz e Cumpadi Alselmo e, ainda, o xilogravurista Valdério Costa.

Para incrementar a homenagem às tradições do homem do sertão, o evento também traz do Nordeste alguns nomes nacionalmente reconhecidos no repente e na literatura de cordel: Mocinha da Passira e Minervina Ferreira, mulheres veteranas consagradas na arte do repente; Edmilson e Lisboa, dupla de repentistas que já conquistou centenas de vitórias em campeonatos do gênero e os Irmãos Silva, repentistas de destaque da nova geração.

A inspiração

Um dos representantes do projeto e mestre do repente no Distrito Federal, Chico de Assis considera a Casa do Cantador o “delta irradiador” da cultura da região nordestina, em especial de Ceilândia. “Esse projeto é importante para valorizar a arte da cantoria de viola e afirmar o repente, do improviso, do coco de embolada, da poesia matuta no Distrito Federal”, avalia. “Esta é uma forma de consolidação da cultura popular nordestina”.

O repentista também aponta que os versos feitos pelos colegas do improviso na atualidade são, em geral, fruto de intensos estudos, elaborados com mensagens benéficas recheadas de poesia e reflexão. “Nas cantorias, ampliam-se os espaços dedicados à discussão de temas relevantes para a sociedade de forma leve, usando a linguagem do povo e conservando suas raízes nordestinas”, explica. “Essas peculiaridades do repente enfatizam sua importância na formação da identidade cultural de uma sociedade”.

Repente como oportunidade

Originária do sertão do Nordeste, a arte do repente está presente na região central do Brasil desde a construção de Brasília. Chegou por aqui na bagagem cultural dos candangos, que migraram à procura de oportunidades. Forte em Ceilândia, o gênero ocupa um espaço de relevância social e cultural DF.

Essa tradição se mantém viva na fala, no canto, no traço e na palavra escrita dos muitos que a reverenciam. Com viola nos braços ou lápis na mão, poetas perpetuam essa arte matuta, influenciam jovens que despontam como improvisadores e conquistam novos admiradores.

Natural de Cuité, na Paraíba, Dona Minervina se diz honrada em participar de um evento na capital do país. “A diversidade cultural do Brasil é muito grande e nós precisamos mostrar nosso trabalho aí no Distrito Federal, assim como o Distrito Federal precisa mostrar a cultura ao mundo inteiro”, diz.

O repentista potiguar Antônio Lisboa lembra que, pela internet, as apresentações atingem outras dimensões, podendo ser vistas em qualquer lugar e hora. Outro ponto destacado pelo artista foi a oferta de trabalho aos repentistas, que nesse momento de pandemia enfrentam dificuldades, impedidos de se apresentar em shows tradicionais.

“Participar de um evento de cultura nordestina na capital é afirmar que o repente está presente em Brasília desde seu nascimento e foi se multiplicando, em cantorias tradicionais, em festivais na Casa do Cantador de Brasília, que é também a casa do Cantador do Brasil, que presta um serviço à categoria muito importante”, ressalta.

Talentos do Piauí

Piauiense e morador de Lavras da Mangabeira, no sertão do Ceará, o repentista Jairo Silva manifesta seu sentimento em mostrar sua arte direto da Casa do Cantador para o mundo. “Brasília é mais uma janela aberta, mais um canal para divulgação do nosso trabalho”, afirma. “A gente está voltando ao trabalho mesmo sendo virtual, ficando mais próximo do povo através das redes sociais. Semear o trabalho em Brasília é a garantia de render bons frutos”.

Também nascido no Piauí – em Várzea Grande –, Edmilson Ferreira, morador de Recife (PE), considera participar do Campeões do Repente relevante para qualquer repentista profissional.

“Esse evento traz uma sensação diferente por conta do momento que estamos vivendo”, frisa. “Agrega outro diferencial importante, que é a transmissão ao vivo pelas plataformas digitais, ampliando ainda mais a abrangência da apresentação. Espero poder representar, e bem, todos os repentistas do Brasil e os fãs do repente que nos assistirão presencial e virtualmente.”

Campeões do Repente

  • Sábado (21), às 20h – apresentador e declamador: Cumpadi Anselmo. Shows com Chico de Assis e João Santana e com Os Irmãos Silva – Jairo e Jeferson.
  • Sexta-feira (4/12), às 20h – apresentadora e declamadora: Lília Diniz. Shows com Chico de Assis e João Santana e Mocinha da Passira e Minervina Ferreira.

As transmissões podem ser acompanhadas pelo canal dos Campeões do Repente.

Agência Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *