Diferença de vacinas pediátricas contra a covid-19 é alertado pela Anvisa

A autorização é válida apenas para a aplicação da Pfizer e da CoronaVac

Na ultima sexta-feira (28), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou um comunicado aos profissionais de saúde alertando para as diferenças entre as vacinas para a covid-19 voltadas as crianças.

O intuito é destacar as especificidades dos imunizantes para o público infantil liberados recentemente para reforçar as informações aos trabalhadores na linha de frente da aplicação de vacinas contra a covid-19.

Com a autorização da agência para duas marcas de imunizantes pediátricos contra a doença, fica então estipulado que o da Pfizer será para crianças de 5 a 11 anos de idade. Já a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, engloba pessoas entre 6 e 17 anos de idade.

O preparo envolve o descongelamento dos frascos e a diluição com solução de cloreto de sódio. O imunizante da Pfizer tem frasco com tampa laranja e a dose é de 0,2 ml, havendo 10 doses em cada frasco.

Com distância de três semanas entre cada, devem ser ministradas duas doses do imunizante, sendo que o armazenamento deve ser realizado em temperatura de 2°C a 8°C em um período de até dez semanas, sem ultrapassar a validade. A vacina também pode ser congelada em freezers de -90°C a -60°C.

Com o frasco de tampa cinza, a vacina da CoronaVac pode ser usada tanto em adultos como em crianças. A dose é de 0,5 ml e demanda preparo com agitação do frasco antes de aplicar, sem diluir. Devem ser aplicadas duas doses, com intervalo de quatro semanas entre cada uma.

O armazenamento deve ser realizado em temperaturas de 2°C a 8°C e o prazo de validade é de 12 meses. Nas duas marcas, a aplicação deve ocorrer no braço, na parte superior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.