Em busca do melhor alimento para a população carente

Secretaria de Desenvolvimento Social ouve sugestões da sociedade civil e analisa viabilidade de implantação

Ampliação na concessão do Cartão Prato Cheio, possibilidade de extensão no prazo do benefício, priorização de determinados grupos e escalonamento no valor. Essas foram algumas das sugestões oferecidas por representantes da sociedade civil ao Governo do Distrito Federal.

“São contribuições de suma importância, que já foram repassadas à equipe técnica para iniciarem os estudos de viabilidade e impacto financeiro”Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

O encontro ocorreu, virtualmente, na manhã desta segunda-feira (26), com a coordenação da secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha.

“São contribuições de suma importância, que já foram repassadas à equipe técnica para iniciarem os estudos de viabilidade e impacto financeiro”, destaca a gestora. “Em alguns desses apontamentos, o debate já existia”, completa Mayara Noronha Rocha, como é o caso da ampliação para atendimento de 40 mil beneficiários ainda neste ano.

Um dos representantes da sociedade foi o frei Rogério Soares, pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês. De acordo com o religioso, muitas pessoas que estavam fora dos requisitos para os benefícios, passaram a fazer parte com a instalação da pandemia da covid-19. “A situação exigiu uma medida rápida do Estado e reconhecemos que o Cartão Prato Cheio foi essa ação emergencial”, resume.

Toda e qualquer ampliação é feita em cima de dados do sistema de informação da Sedes. “Além dos impactos, levamos em consideração o mapeamento das solicitações. São vários desafios, que vão de composição familiar a prioridades de concessões”, explica a subsecretária de Segurança Alimentar e Nutricional, Karla Lisboa.

*Com informações da Sedes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *