Governo do Distrito Federal anuncia novas medidas contra violência contra mulher

A iniciativa celebra os 16 Dias de Ativismo pelo fim da violência contra as mulheres.

Escrito por Rebeca Rabêlo

A iniciativa celebra os 16 Dias de Ativismo pelo fim da violência contra as mulheres.

Diariamente no Distrito Federal mais de 43 mulheres sofrem algum tipo de agressão. Os dados da Secretaria de Segurança Pública mostram que entre janeiro e março deste ano, mais de 3.953 mulheres sofreram  violência psicológica, física ou sexual.

No mês em que se celebram os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, o Distrito Federal lançou algumas medidas para acolher e proteger mulheres em situação de violência. No Brasil, a mobilização abrange o período de 20 de novembro a 10 de dezembro, quando é comemorado o Dia Internacional dos Direitos Humanos.

O dia 25 de novembro é o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU). A data é uma homenagem às irmãs Mirabal, acusadas de serem contra a ditadura de Rafael Leonida Trujillo na República Dominicana. O evento comemorativo é uma ação para eliminar a violência contra as mulheres no mundo inteiro.

16 ações do GDF no combate a violência contra a mulher:

Para promover a data, as secretarias da Mulher e a secretaria de Segurança Pública lançaram a cartilha que reúne 16 ações do GDF voltadas para o acolhimento e proteção das mulheres em situação de vulnerabilidade e violência doméstica, acesse a cartilha aqui.

Programa Flor do Cerrado:

Já o Hospital Regional de Santa Maria oferece às mulheres vítimas de violência assistência por meio de um serviço especializado. O projeto Flor do Cerrado oferece ajuda médica, psicológica e social para mulheres, adolescentes e crianças em situação de violência sexual, familiar ou doméstica.

Que fica no prédio anexo à entrada principal do Hospital Regional de Santa Maria, o telefone para contato é : 4042-7770 – ramal 5525. O e-mail: cepavflordocerrado@gmail.com

Aplicativo Viva Flor:

Outra medida adotada pela Secretaria de Segurança Pública do DF é o aplicativo Viva Flor. A versão anterior do aplicativo era instalado no celular da vítima, vinculado ao Centro Integrado de Operações de Brasília, que ao ser acionado, emite um chamado prioritário no computador do agente do Ciob, que encaminha uma viatura da Polícia Militar para o local.

O novo equipamento é diferente. Consiste em um dispositivo semelhante a um smartphone e é fornecido de acordo com os padrões estabelecidos pelo tribunal, mas sua função como ferramenta de proteção é limitada. Comparado com o aplicativo anterior, o dispositivo foi inovado para permitir o rastreamento em tempo real do deslocamento da vítima, indicando de forma dinâmica a localização em caso de ativação de emergência por risco iminente de violência ou ameaça grave.

Além disso, o novo dispositivo permite a conexão com números pré-cadastrados, mensagens de texto prontas, registros de imagens, registros fotográficos e captação de áudio e vídeo ambiental, e o sistema judiciário pode utilizá-lo como qualquer prova de descumprimento de emergência medidas de proteção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.