Novos cartões para usuários do transporte coletivo

Modelos que dão acesso integrado aos ônibus e metrô trazem vantagem financeira, aumenta a segurança e ajuda a evitar o contágio da Covid-19

Já estão disponíveis os novos modelos do Cartão Mobilidade, que dão acesso ao Sistema de Transporte Público Coletivo do Distrito Federal. São quatro tipos com novo visual, todos válidos para acesso integrado aos ônibus e ao metrô. As novas mídias estão sendo lançadas pelo BRB Mobilidade, em parceria com a Secretaria de Transportes e Mobilidade. A medida é mais um incentivo para que as pessoas paguem suas passagens por meio eletrônico, de acordo com as orientações das autoridades de saúde. O uso do cartão, em vez de dinheiro, ajuda a evitar o contágio da Covid-19.

Foto: Semob/Divulgação

O usuário que já possui qualquer categoria do Cartão Mobilidade não precisa trocá-lo, pois o antigo continuará funcionando normalmente. A substituição será gradual. As novas mídias estarão disponíveis para quem for adquiri-las pela primeira vez ou para aqueles que pediram segunda via.

Além de ajudar a reduzir a transmissão do novo coronavírus, o uso do Cartão Mobilidade traz vantagem financeira para o usuário. O cartão permite que o passageiro utilize os benefícios da integração – o que não é possível para quem paga a passagem em dinheiro.

Com ele, em vez de pagar duas ou três passagens, a pessoa pode fazer até três embarques – desde que sejam em sentido contínuo e no prazo máximo de até três horas entre o primeiro e o último embarque. É possível combinar, por exemplo, uma parte do trajeto por meio de micro-ônibus, depois embarcar no metrô ou BRT até a Rodoviária, e completar o percurso em outra linha de ônibus. A integração pode ser feita em qualquer parada de ônibus, estações do Metrô e nos terminais rodoviários do Distrito Federal.

O valor máximo da passagem integrada para quem utiliza cartão é de R$ 5,50, mesmo que se utilize em trajetos de diferentes preços. Por exemplo: se o usuário usa uma linha circular interna, que custa R$ 2,70, depois integra com o metrô, a R$ 5,50 e, por último, embarca em uma linha de curta duração, a R$ 3,80, o valor final de toda a viagem será de R$ 5,50  desde que utilize o cartão. Se essa mesma pessoa optasse por usar dinheiro, pagaria, pelos mesmos trajetos, R$ 12.

Foto: Agencia Brasilia/Arquivo

O Sistema de Bilhetagem Automática de Brasília registra cerca de 17,5 milhões de acessos por mês. Mais de 25% das passagens ainda são pagas em dinheiro, o que representa grande volume de notas e moedas circulando nos 2.811 ônibus que operam no transporte coletivo. O risco de assaltos, inclusive com violência contra motoristas, cobradores e passageiros, é outro grande inconveniente causado pelo uso de dinheiro para pagar as viagens.

O pagamento das passagens por meio eletrônico contribui para reduzir as ocorrências de roubos nos ônibus. A quantidade desse tipo de crime no transporte coletivo do DF é considerada alta. A Secretaria de Segurança Pública registrou 1.587 casos de roubo em ônibus em 2018 e 1.538 casos em 2019. A média de crimes foi de 130 casos por mês, nos dois anos.

Em 2020, mesmo com o isolamento social devido à pandemia da Covid-19, a quantidade de roubos nos ônibus continuou alta. Foram registrados 617 casos de janeiro a julho deste ano, uma média de 88 roubos ao mês. Enquanto a demanda de passageiros chegou a cair cerca de 74% durante o isolamento, a média de roubos no transporte coletivo caiu 32% nesse período.


Onde comprar e recarregar
As novas mídias, que substituirão os atuais cartões “+” do Bilhete Único, fazem referência aos pontos turísticos de Brasília, possuem a marca do BRB Mobilidade e a logo comemorativa dos 60 anos do aniversário da cidade. Os cartões podem ser recarregados de forma online por meio do aplicativo do BRB Mobilidade e nos mais de 110 pontos espalhados por todo o DF, abertos das 6h às 23h30. Os horários e o tipo de atendimento disponíveis em cada posto do BRB Mobilidade podem ser conferidos na página da instituição.


Confira qual é o tipo ideal de cartão para a sua mobilidade

  • Cartão Mobilidade
    Destinado a todos os usuários do transporte público (ônibus e metrô) que utilizam o sistema de integração. O cartão pode ser retirado na hora, nos postos BRB Mobilidade e em estações específicas do Metrô. A compra dos créditos pode ser feita pelo site mobilidade.brb.com.br, nos postos do BRB Mobilidade, estações do Metrô, terminais do BRT e do BRB Conveniência e também pelo app. Ao todo, são mais de 120 pontos de recarga.
  • Vale-transporte
    Destinado aos trabalhadores que recebem o benefício de vale-transporte de seus empregadores. O empregador deve solicitar a emissão de cartão vale-transporte ao BRB Mobilidade. Após concluída a emissão, ele ou o próprio empregado pode retirar o cartão no posto da Rodoviária do Plano Piloto. Esse cartão permite o uso do benefício da integração.
  • Estudantil
    Concedido, conforme previsto em legislação, aos alunos das escolas públicas e privadas do DF. O benefício garante 100% de gratuidade no transporte público.  Para isso, a instituição de ensino deve comprovar a matrícula e presença escolar, mensalmente, à Secretaria de Transporte e Mobilidade. O cartão pode ser retirado nos postos BRB Mobilidade específicos para atendimento à estudantes.
  • Especial
    Destinado às pessoas com deficiência permanente ou com determinadas doenças, de acordo com a Lei Distrital nº 4.887/12. Para adquirir o cartão, o usuário deve realizar o cadastro pelo site. O cartão pode ser retirado nos postos BRB Mobilidade específicos para gratuidade.

* Com informações da Secretaria de Mobilidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *