PCDF deflagra operação Fake Pix e prende em flagrante trio especializado em golpes

Na data de ontem (02/03/2022), a PCDF, através da 38ª DP, deflagrou a operação FAKE PIX e prendeu em flagrante dois homens, de 32 e 29 anos de idade, e uma mulher de 30 anos de idade, pelos crimes de associação criminosa e estelionato.

A ação policial foi deflagrada às 18h00min, após os proprietários de uma loja situada na Rua 06 de Vicente Pires informarem que, horas antes, haviam sido vítimas do golpe do falso pix e que naquele momento havia uma mulher no estabelecimento atuando com o mesmo modus operandi, ou seja, tentando lhes aplicar a mesma fraude.

Segundo relatado, por volta das 15h20min, a sócia da loja tomou conhecimento de uma venda que havia sido realizada por volta das 15h07min por uma funcionária, através da qual o cliente efetuou o pagamento via PIX. A venda foi realizada no valor de R$ 1.211,00 (um mil e duzentos e onze reais) tendo o cliente mostrado o comprovante para a caixa, a qual tirou uma fotografia do comprovante e, acreditando que o pagamento havia sido creditado na conta da empresa, autorizou que o cliente saísse da loja com as mercadorias supostamente compradas.

Na ocasião, o autor levou dois óculos escuros da marca Ray-Ban, algumas peças de roupa de marca, um brinquedo infantil e duas tiaras infantis.

Desconfiada da compra realizada, a sócia olhou a fotografia do comprovante apresentado pelo cliente, tendo verificado que a agencia bancária da loja estava errada. E, seguida, ao conferir o extrato da conta da loja, verificou que o dinheiro não havia sido creditado.

A dona da loja telefonou para o gerente do banco e teve a confirmação de que não havia sido feita nenhuma tentativa de pagamento ou de estorno de pagamento na conta bancária da loja.

Duas horas depois, por volta das 17h40min, uma outra cliente entrou na loja e passou a atuar com o mesmo modus operandi do autor do golpe anteriormente perpetrado, tendo a cliente tentado comprar, através de PIX, uma bolsa da Channel e um óculos da Tiffany, no valor de R$ 3.990,00 (três mil e novecentos e noventa reais).

Atentos pelo crime que haviam acabado de sofrer, os funcionários da loja não autorizaram a saída da cliente até a confirmação do pagamento, tendo notado que o comprovante apresentado pelo mulher também estavam com a agencia e a conta bancária diferentes dos da loja e que o comprovante constava em nome de PAULA SILVA COSTA, nome diverso do da cliente.

Após confirmarem que o valor do PIX não havia sido creditado na conta da empresa, informaram os fatos para a 38ª DP.

No local, após se inteirarem da situação e confirmarem a tentativa de fraude empregada, os policiais civis deram voz de prisão para a mulher e, quando estavam deixando o local, um veículo VW/GOL de cor branca saiu em atitude suspeita, tendo se evadido, deixando o parachoques para trás.

Tal veículo foi perseguido e os policiais conseguiram o abordar. No automóvel estavam os comparsas da mulher e, no interior do carro foram encontradas uma bermuda e uma camiseta que haviam sido produto do crime de estelionato perpetrado anteriormente.

O autor deste crime de estelionato não foi encontrado e ainda não foi identificado. Por tal motivo estamos divulgando suas imagens para que as pessoas que saibam quem ele é o denunciem pelo prefixo 197.

Fora ainda apurado que um dos homens detido havia induzido e instigado a mulher a participar do crime, tendo lhe prometido uma parte do proveito obtido com a prática ilícita.

Os homens detidos se encontram em prisão domiciliar. Ambos possuem condenações criminais. Um deles possui antecedentes por receptação, injuria, roubo e tráfico de drogas. O outro possui passagem policial por tentativa de homicídio.

A mulher não possuía antecedentes policiais.

Eles foram presos por associação criminosa e por dois crimes de estelionato, um consumado e outro tentado. Somadas, as penas podem alcançar os 16 anos de prisão.

Por: Redação

Foto: Divulgação PCDF 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *