Pesquisa mostra caminhos para produção de anticoncepcional masculino

Medicamentos que controlem a fertilidade dos homens. O assunto que parece fruto de um futuro distante está mais perto da nossa atual realidade

 Um estudo, publicado na revista Molecular Human Reproduction, mostra que é possível desenvolver anticoncepcionais masculinos a partir da proteína Eppin, que regula a capacidade de movimentação do espermatozóide.

A pesquisa, iniciada em 2016, foi financiada pela Fundação paulista de Amparo à Pesquisa (Fapesp) e teve parceria com os departamentos de Farmacologia e de Ciências Biológicas da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).  Também fez parte do apoio o Instituto de Biologia e Medicina Experimental do Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas, da Argentina.

Após a ejaculação, o espermatozóide precisa nadar para chegar ao óvulo e fazer a fecundação. Porém, antes de serem ejaculados, os espermatozóides não se movimentam. O estudo trabalhou em identificar justamente qual é a interação que faz com que as células fiquem paradas antes do momento certo.

Foi a partir de experimentos feitos em camundongos que foi possível identificar dois pontos da proteína que regulam a movimentação dos espermatozóides.Foram usados anticorpos para descobrir quais são os pontos da Eppin, que tem função semelhante nos camundongos e nos seres humanos, responsáveis por regular a movimentação da célula reprodutiva masculina.

Ao entender detalhadamente como as proteínas mantém os espermatozóides parados e depois ativam a movimentação dessas células, os pesquisadores abriram a possibilidade de desenvolver medicamentos que atuem dessa forma.

As pesquisas devem continuar no sentido de buscar compostos ou moléculas que possam atuar nos pontos identificados pelo estudo. Essa nova etapa vai ter colaboração com cientistas da Inglaterra, de Portugal e da Universidade de São Paulo (USP).

De acordo com os pesquisadores, um medicamento que fosse capaz de interromper a movimentação dos espermatozóides seria um anticoncepcional, com efeito, quase imediato.

Fonte: Agência Brasil – Por Ernandes Almeida

Foto: Marcello Casal – Agência Brasil 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *