Plano de Saúde da PMDF suspende atendimento para dependentes autistas

A corporação interrompeu a emissão de guias de atendimento psicoterápico para dependentes e pensionistas de policiais militares da capital.

O plano de saúde da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) suspendeu a cobertura de atendimento psicoterápico para dependentes e pensionistas. A decisão interrompeu o tratamento de familiares diagnosticados com deficiência ou problemas psicológicos, incluindo crianças com transtorno do espectro autista.

A corporação anunciou a suspensão da emissão de guias de atendimento em uma circular divulgada na segunda-feira (6/6). Segundo o documento, para não perder o tratamento, as famílias podem buscar a rede conveniada e, depois, solicitar reembolso. Mas, na prática, grande parte delas não tem dinheiro para consultas particulares.

Vale destacar que no dia 3 de junho, o GDF ampliou o plano de saúde do governo, o GDF Saúde, para policiais e bombeiros militares, funcionários do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF) e do Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB). Servidores ativos e aposentados da Câmara Legislativa do DF (CLDF) e do Tribunal de Contas do DF (TCDF) também podem aderir.

A TV união Brasília a PMDF informou, em nota, que a emissão de guias para tratamento psicoterápico a titulares, policiais militares da ativa e da reserva remunerada permanece autorizada. Caso dependentes e pensionistas da PMDF necessitem do atendimento, poderão buscar/continuar o atendimento na rede credenciada e solicitar o ressarcimento das despesas junto à corporação.

Por: Luisa Câmara

Foto: Reprodução