Semob define prazo para instalação de bilhetagem eletrônica nos ônibus do entorno

Sistema será instalado e integrado ao transporte público do Distrito Federal. Empresas têm até 150 dias para adaptações

Todos os ônibus das 396 linhas que realizam o transporte semiurbano de passageiros (linhas do entorno) deverão contar com sistema de cobrança das passagens por meio de cartão. Publicada na edição desta quinta-feira (10) do Diário Oficial do DF, a com a Portaria nº 8/2022, da Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob), determina que as empresas instalem os equipamentos no prazo de 150 dias.

O Sistema de Bilhetagem Automática (SBA) do entorno vai permitir o pagamento das viagens no serviço de transporte semiurbano e, com o mesmo cartão, pagar as passagens no transporte público coletivo do DF, inclusive o metrô. Chamado SBA Semiurbano, o sistema também permitirá a integração operacional entre os serviços do DF e do entorno.

“O objetivo do SBA Semiurbano é oferecer um serviço adequado às necessidades de deslocamento da população do entorno de Brasília e melhorar a qualidade de vida das pessoas”, explica o titular da Semob, Valter Casimiro. “Com a integração operacional, poderemos fazer a análise de dados para melhorar a programação das linhas e a oferta de viagens.”

A bilhetagem automática vai contribuir para reduzir a circulação de dinheiro nos ônibus e aumentar a segurança nas viagens. O pagamento das passagens por meio eletrônico contribui para diminuir as ocorrências de roubos nos ônibus.

Os usuários do transporte semiurbano também contarão com pontos de atendimento presencial e canais para atendimento a distância. O BRB será a instituição responsável pelos cadastros de usuários, comercialização dos cartões e gestão da bilhetagem eletrônica do entorno.

Com o SBA Semiurbano, a Semob poderá planejar e fiscalizar a prestação de serviços das operadoras do transporte rodoviário do entorno. O sistema armazenará os dados dos veículos, a regularidade das viagens e a quantidade de passageiros transportados, por categoria. Além da programação operacional, as análises dessas informações permitirão à secretaria utilizar os dados do entorno para definir as políticas públicas de mobilidade urbana e o planejamento estratégico do transporte público.

*Com informações da Secretaria de Transporte e Mobilidade

Foto: Divulgação/Semob

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *